PATROCINADORES

Maia diz que atraso em vacinação pode levar ao impeachment de Bolsonaro

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sinalizou mais uma vez na segunda-feira (11) que não deve dar andamento até o final de sua gestão em nenhum dos pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. Em entrevista ao site Metrópoles, Maia comentou que uma discussão agora sobre o impedimento do presidente trataria mais transtornos e desorganização. O parlamentar, no entanto, apontou que Bolsonaro pode ser alvo de um processo caso a vacinação contra o novo coronavírus comece a demorar, mas que a decisão ficará a critério do próximo chefe da Casa. “A questão da vacina está começando a transbordar uma pressão que a sociedade poucas vezes fez nos últimos anos. Talvez ele (Bolsonaro) sofra um processo de impeachment muito duro se não se organizar rapidamente. Porque o processo de impeachment, você sabe, é o resultado da pressão da sociedade”, afirmou.

Por que é importante

Ao deixar a via do impeachment no radar, Rodrigo Maia joga mais pressão para que o governo federal agilize o início de uma campanha de vacinação

Quem ganha

A oposição. Maia também joga para agradar principalmente a esquerda e atrair votos para Baleia Rossi, seu candidato na sucessão na Câmara

Quem perde

O presidente Bolsonaro, que pode ser alvo de um processo de impeachment na segunda metade de seu mandato

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários