Document
PATROCINADORES

Ibope: 44% acreditam que Bolsonaro será o próximo presidente

Pesquisa Ibope contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta quarta-feira (26) mostra Jair Bolsonaro na liderança da disputa pelo Palácio do Planalto com 27% das intenções de voto. Se a eleição fosse hoje, Fernando Haddad faria o segundo turno contra o candidato do PSL. O petista tem 21%.

Em seguida aparecem Ciro Gomes (PDT), com 12%; Geraldo Alckmin (PSDB), 8%; Marina Silva (Rede), 6%; João Amoêdo (Novo), 3%; Alvaro Dias (Podemos), 2%; Henrique Meirelles (MDB), 2%; e Guilherme Boulos (PSOL), 1%.

Cabo Daciolo (Patriota), Vera Lúcia (PSTU), João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram. Brancos, nulos e indecisos somaram 18%.

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas nos dias 22, 23 e 24 de setembro, em 126 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Confira as simulações de segundo tuno:

– Haddad 42% x 38% Bolsonaro
– Ciro 44% x 35% Bolsonaro
– Alckmin 40% x 36% Bolsonaro
– Bolsonaro 40% x 38% Marina

Percepção sobre vencedor:

A pesquisa CNI/Ibope também perguntou aos eleitores que candidato acreditam ser o provável vencedor das eleições presidenciais de 2018. Para 44% dos entrevistados, o próximo presidente será Jair Bolsonaro, seguido por Fernando Haddad, citado por 20% dos eleitores como próximo ocupante do Palácio do Planalto. Ciro Gomes é o terceiro mais citado (8%), e Geraldo Alckmin (7%) aparece na quarta posição.

Voto útil

Conforme o levantamento, 28% dos brasileiros avaliam como alta ou muito alta a probabilidade de mudar de voto até 7 de outubro para que um candidato de quem não gostem vença a corrida pelo Palácio do Planalto. Por outro lado, para 48% dos entrevistados, as chances de mudança de voto pelo mesmo motivo são baixas ou muito baixas. Quando perguntados se mudariam a escolha para votar no candidato com maior chance de ganhar, apenas 16% se disseram dispostas a trocar o voto. Os que afirmam, por sua vez, que a probabilidade de trocar o candidato de preferência pela mesma razão é baixa ou muito baixa chegam a seis de cada dez eleitores (60%).

Por que é importante

A convicção dos eleitores, observada pela pesquisa, mostra que o segundo turno caminha para uma disputa entre Bolsonaro e Haddad

Quem ganha

O candidato do PSL e o petista, consolidados nas duas primeiras posições e com ampla vantagem para os demais

Quem perde

Os outros presidenciáveis, que devem ficar de fora do segundo turno

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.