Document
PATROCINADORES

Exército pode punir Pazuello por participação em ato com Bolsonaro

O comandante do Exército, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, vai avaliar se e que providência será tomada contra o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, que é general da ativa, por sua ida ao ato realizado no domingo (23), no Rio de Janeiro, pelo presidente Jair Bolsonaro. A presença de Pazuello no palanque de Bolsonaro, com direito a discurso, irritou a Alta Cúpula do Exército pelo fato de o general ter transgredido uma das normas básicas das Forças Armadas, que veda a participação em atividades políticas coletivas. Segundo a Folha de S. Paulo, a principal possibilidade é que o ex-ministro passe para a reserva, mas uma punição mais severa não está descartada. Antes de tomar uma decisão, o comandante deve cobrar explicações formais do general.

Por que é importante

O episódio pode gerar um impasse nas Forças Armadas, já que a falta de uma punição tende a reforçar o discurso de "meu Exército" usado reiteradas vezes pelo presidente Jair Bolsonaro

Quem ganha

A intenção de Bolsonaro de ter o Exército cada vez mais como instituição de governo

Quem perde

O ex-ministro Eduardo Pazuello, que pode ser punido pelo ato. Além disso, a presença dele no palanque deve acelerar uma nova convocação na CPI da Pandemia no Senado

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.