PATROCINADORES

EUA banirá plásticos one way de parques nacionais até 2032

Após anos de pressões, embalagens sem retorno serão barradas de todas as terras públicas

O Departamento do Interior dos Estados Unidos divulgou na quarta-feira (8) que eliminará gradualmente os produtos plásticos de uso único em terras públicas até 2032, inclusive em parques nacionais, em uma medida destinada a combater uma importante fonte de resíduos poluentes nos EUA.

A decisão foi tomada após as autoridades perceberem que os esforços pela reciclagem ainda são insuficientes. A taxa de reciclagem dos EUA caiu cerca de 5%, pois alguns países pararam de aceitar as exportações de resíduos dos EUA, provocando acúmulos recordes.

A secretária do Interior, Deb Haaland, emitiu uma ordem pedindo a redução da aquisição, venda e distribuição de produtos e embalagens de plástico não retornável nos 480 milhões de acres de terras que a pasta administrada. Só no ano fiscal de 2020 foram produzidas quase 80 mil toneladas de resíduos sólidos nestas áreas.

400 parques sem plásticos

O anúncio ocorre após anos de pressõs sobre o Departamento do Interior para reprimir os plásticos de uso único nos mais de 400 parques nacionais do país. Um projeto de lei foi apresentado em outubro passado pelo senador Jeff Merkley e pelo deputado Mike Quigley para proibir a venda e distribuição de produtos com essas embalagens nos parques.

O Departamento do Interior também ordenou que os funcionários identificassem alternativas aos produtos, como materiais compostáveis, biodegradáveis ou 100% recicláveis

“A proibição de plástico descartável do Departamento do Interior reduzirá milhões de quilos de plástico descartável desnecessário em nossos parques nacionais e outras terras públicas, onde pode acabar poluindo essas áreas especiais e os oceanos e hidrovias dentro e ao redor deles”, disse Christy Leavitt, coordenadora da campanha de plásticos do grupo de conservação Oceana.

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.