Document
PATROCINADORES

Doleiro revela que propina era transportada até em meias elásticas

O doleiro Cláudio Barbosa, conhecido como Tony, revelou ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, como a propina movimentada por ele era transportada sem deixar pistas. O dinheiro ilícito chegou a ser repassado aos clientes até em meias elásticas. “Os portadores carregam dinheiro na perna. Eles não carregam em mochila. Eles têm essas meias Lupo, põem para cima, e ali cabe R$ 250 mil em cada perna, em notas de R$ 100 e R$ 50. Então ele sai andando normalmente, não chama atenção. Não está com uma mochila nem com uma mala. Um segurança ia ao lado e outro atrás. Isso são procedimentos normais”, detalhou Tony.

Por que é importante

Tony e o também doleiro Vinícius Claret, mais conhecido como Juca Bala, fecharam acordo de delação premiada. Entre seus clientes, estavam o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, a construtora Odebrecht e o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha

Quem ganha

A Justiça. O depoimento dos doleiros é fundamental para entender a origem do dinheiro e como a propina era movimentada

Quem perde

Os cofres públicos, que foram dilapidados por uma série de escândalos de corrupção

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.