PATROCINADORES

Disputa entre Bolsonaro e Haddad será agressiva, diz cientista político

Em entrevista a MONEY REPORT, Jorge Zaverucha, cientista político e professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), diz que a disputa entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) será agressiva. Sobre os perdedores Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede), diz que devem se aposentar. E o partido Novo, de João Amoedo, deve representar uma nova forma de fazer política. A seguir, os principais trechos da entrevista.

Como será o segundo turno entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad?

Até por conta do resultado, Bolsonaro entra obviamente em vantagem em relação a Haddad. O candidato do PT terá as outras forças de esquerda no seu palanque. Mas não são todas. Por exemplo, uma coisa é Ciro Gomes apoiar Haddad; outra, bem diferente, são seus eleitores apoiarem o petista. O anti-petismo é muito forte no país.

Quais as estratégias dos partidos daqui para frente?

Os dois lados devem ser bastante agressivos. Bolsonaro cresceu porque bateu no PT. E Haddad, que está bem atrás de Bolsonaro, também precisa ser agressivo. Bolsonaro vai usar a prisão do ex-presidente Lula, que é o padrinho de Haddad. Já o petista vai insistir na tese de “união do país” e apontar para o discurso homofóbico, machista e a imagem antidemocrática de Bolsonaro.

 

O candidato do PSDB ficou com menos de 5% dos votos. Qual o futuro do PSDB?

Depende muito de como ficará daqui pra frente o resultado da eleição ao governo de São Paulo. O Estado de São Paulo é o berço do PSDB. Caso João Doria, o candidato do partido, fique de fora do governo, o PSDB perde muito. Se Doria ganhar, na próxima eleição ele deve disputar a Presidência da República. Independentemente do resultado, o PSDB continuará existindo, mas perde poder de barganha, sobretudo no âmbito federal.

Qual futuro de Geraldo Alckmin?

Depois dessa derrota acachapante, ele deve se aposentar. Alckmin deixou o governo de São Paulo para disputar uma eleição que desde cedo ele já sabia que seria difícil. Pelo andar da carruagem, deve sair mesmo da política. Pode ser que vá para alguma prefeitura de algum município paulista, ou cargo público em uma gestão tucana.

 

Qual o futuro de Marina Silva, que teve 1% dos votos?

Considero a derrota de Marina algo impressionante. Uma candidata que já teve 20 milhões de votos, perdeu para Cabo Daciolo (candidato do Patriota, que ficou em 7º lugar, na frente de Marina). Na minha opinião, ela vai sair de cena também.

Como sai partido Novo dessa eleição, que conseguiu eleger deputados, colocou um candidato no segundo turno ao governo de Minas Gerais e o principal nome, João Amoedo, ficou em quinto?

Para um partido que surgiu há pouco, isso representa muito. Estará no segundo turno com candidatos de partidos históricos, PT e PSDB. De agora em diante, com parlamentares no Congresso Nacional, será uma força forte na centro-direita.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =

Pergunte para a

Mônica.