PATROCINADORES

Demissão de número 2 do MEC foi pedido de Olavo de Carvalho, diz jornal

A coluna Painel, da Folha, informa nesta quarta-feira (13) que a demissão do secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC), Luiz Antônio Tozi, na terça (12), foi uma condição imposta pelo escritor Olavo de Carvalho para pacificar a relação com o ministro Ricardo Vélez, indicado por ele à pasta. Olavo estava em pé de guerra com Vélez após o ministro exonerar alguns de seus alunos. Considerado uma espécie de “guru” do bolsonarismo, o filósofo acredita que Tozi era o principal responsável pelo afastamento dos seus seguidores. O escritor, inclusive, chegou a pedir que seus alunos deixassem os cargos no governo em meio à crise.

Por que é importante

O episódio mostra que os principais obstáculos ao governo Bolsonaro estão na própria base de apoio, não na enfraquecida oposição

Quem ganha

Olavo de Carvalho, que mostra ter grande influência sobre o governo

Quem perde

Os militares e a área técnica do MEC, que atuam para conter a influência do escritor

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + onze =