Document
PATROCINADORES

Como os blogueiros radicais enxergam direita e esquerda

O Brasil é um país com tantas peculiaridades que aqui existe o termo “jabuticaba” para definir algo estritamente nacional. E, de fato, temos comportamentos, hábitos e até determinações legais que não se encontram em outras nações. Um exemplo disso é a malha tributária, tão intrincada que faria mentes privilegiadas, como a de Albert Einstein, capitular diante de tamanha complicação.

Ultimamente, os conceitos direita e esquerda ganharam muita volatilidade em função da posição que as pessoas têm em relação ao alguns temas. Esqueça programas sociais, apego às empresas estatais ou socialização dos meios de produção – nada do que dizem as antigas cartilhas históricas ou macroeconômicas importa.

Para sabermos se alguém é de direita ou de esquerda, de acordo com os blogueiros mais radicais que apoiam o presidente Jair Bolsonaro, é só fazer um checklist em relação a alguns temas que estão em voga e discutidos com certa soberba nas redes sociais. Os primeiros quatro até mereceriam um asterisco, pois representavam determinada coisa há um ano e hoje são vistos de uma forma completamente diferente.

Vamos lá:

OPERAÇÃO LAVA-JATO – esse item poderia se chamar “Sérgio Moro”, pois passou a ser visto de maneira diversa após a saída do ex-juiz do Ministério da Justiça. Na campanha eleitoral, o combate à corrupção personificado por Moro sensibilizou uma grande massa de eleitores, que se dividiu diante da demissão do ministro. Antes, apenas esquerdistas se declaravam contra a Lava-Jato, muito por conta da condenação de vários petistas (em especial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva). Hoje, porém, os apoiadores radicais do governo se mostram críticos à operação. Portanto, para eles, ser a favor da Lava-Jato é ser de esquerda (mesmo que uma leva enorme de esquerdistas seja contra Moro, que condenou Lula à cadeia).

CENTRÃO – os políticos que compõem este grupo, até recentemente, eram execrados pelos apoiadores do governo por conta imagem fisiologista e oportunista construída nos últimos anos. Depois que o Planalto firmou um acordo com eles, no entanto, o Centrão passou a ser palatável aos bolsonaristas, que preferiram aderir ao pragmatismo e esquecer o “lado B” desses deputados e senadores. Portanto, se você é contra o Centrão, sinto informá-lo: para os governistas empedernidos, você é um esquerdista.

PSL – o partido que elegeu Bolsonaro também sofreu mudanças de percepção de meses para cá. O presidente anunciou sua saída da agremiação e elegeu alguns inimigos dentro do quadro partidário – a deputada federal Joice Hasselmann, o senador Major Olímpio e o presidente da sigla, Luciano Bivar. Portanto, os radicais direitistas reservam apenas um rótulo aos admiradores de Joice e de Olímpio: esquerdinha.

RODRIGO MAIA – aqui temos mais um caso de quem é torpedeado pelos defensores extremos de Bolsonaro. Maia é repudiado como poucos e alvo de ataques constantes na rede social (reconheça-se, no entanto, que há críticos ao presidente da Câmara que extrapolam o núcleo bolsonarista). Portanto, se você elogiar Maia em público, prepare-se para ser chamado de comunista para baixo pelos mais extremistas.

STF – o Supremo Tribunal Federal é outro caso de pendenga eterna com os apoiadores do governo. Não importa a decisão que os ministros tomem – estão sempre erradas e sujeitas a todo o tipo de artilharia. Você acha que algumas determinações da Alta Corte foram corretas? Para os blogueiros da escola Sara Winter, deve haver uma carteirinha do PSOL com sua fotografia em algum lugar de seu armário.

CHEQUES DE QUEIROZ – estamos aqui em um território ocupado apenas pelos bolsonaristas mais fanáticos. Eles acreditam que os cheques depositados pelo ex-assessor Fabricio Queiroz nas contas de familiares do presidente possuem origem legal. Alguma desconfiança? Os extremistas irão vaticinar: “Bem que achei que você tinha um jeito de esquerdista terrível”.

PANDEMIA – Mesmo que você não esteja entre aqueles que acreditem piamente que o governo federal foi responsável por um genocídio, experimente fazer algum tipo de crítica à atuação do Ministério da Saúde nos últimos meses: imediatamente será tachado de “vermelhão”. No combate ao coronavírus, só a direita raiz apoia integralmente o general Eduardo Pazuello. Os críticos, mesmo os mais leves? Um bando de comunas.

LIBERALISMO – seria uma contradição brava achar que os defensores da agenda liberal sejam de esquerda. Mas, lembremos, estamos no Brasil e, em termos de ideologia, tudo é possível. Por enquanto, os liberais ainda são vistos como sendo de direita pelos governistas. Mas se os princípios liberais interromperem obras e investimentos por conta do teto das contas públicas, Paulo Guedes que se cuide, pois pode ser tachado de socialista.

POLITICAMENTE CORRETO – Hordas governistas reagirão: “Minorias”? “Inclusão”? “Meio ambiente”? “Que papo de comunista é esse”?

OLAVO DE CARVALHO – Esse item define claramente se alguém é totalmente bolsonarista. Aqueles que apoiam o escritor estão ao lado do presidente até debaixo d’água. Não concorda com Olavo? O próprio poderá dizer: “Sempre desconfiei desse seu gosto pelas músicas dos Beatles”.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.