Document
PATROCINADORES

Comissão especial vota para tirar Coaf de Sérgio Moro

A comissão especial que analisa a medida provisória (MP) da reforma administrativa do governo Bolsonaro aprovou nesta quinta-feira (9) a transferência do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) do Ministério da Justiça para o Ministério da Economia. Votaram pela mudança PT, PRB, PTB, PP, MDB, Pode, PSC, DEM, PR, Solidariedade e Patriotas. No total, dos 25 parlamentares que votaram, 14 apoiaram que o Coaf vá para o comando de Paulo Guedes. Antes de entrar em vigor, a MP deve passar pelos plenários da Câmara e do Senado.

Como votou cada parlamentar

Votaram para manter o Coaf com Sérgio Moro:

SENADORES

Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE)

Simone Tebet (MDB)

Antonio Anastasia (PSDB-MG)

Rose de Freitas (Pode-ES)

Juíza Selma (PSL-MT)

Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

Alessandro Vieira (Cidadania-SE)

Otto Alencar (PSD-BA)

DEPUTADOS

Filipe Barros (PSL-SP)

Diego Garcia (Pode-PR)

Daniel Coelho (Cidadania-PE)


Votaram para tirar o Coaf de Sérgio Moro:

SENADORES

Ciro Nogueira (PP-PI)

Rogério Carvalho (PT-SE)

Jayme Campos (DEM-MT)

Nelsinho Trad (PSD-MS)

Jean Paul Prates (PT-RN)

DEPUTADOS

Valtenir Pereira (MDB-MT)

Elmar Nascimento (DEM-BA)

Célio Silveira (PSDB-GO)

Arthur Lira (PP-AL)

Marx Beltrão (PSD-AL)

Alexandre Padilha (PT-SP)

Luiz Carlos Motta (PR-SP)

Camilo Capiberibe (PSB-AP)

Subtenente Gonzaga (PDT-MG)


Por que é importante

O Coaf é responsável por revelar inúmeros casos de corrupção na política nacional, como o Mensalão e as movimentações suspeitas na conta do ex-ministro petista Antonio Palocci e nas palestras do ex-presidente Lula

Quem ganha

Os parlamentares que votaram pelo Coaf fora do Ministério da Justiça, pois temiam uma concentração de poder nas mãos do ex-juiz da operação Lava Jato

Quem perde

A ida do Coaf para o Ministério da Economia representa uma derrota para Moro

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.