Document
PATROCINADORES

Bretas é punido por participar de eventos com Bolsonaro e Crivella

O órgão especial do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) decidiu aplicar uma pena de censura ao juiz federal Marcelo Bretas, que atua na Lava-Jato do Rio. Ele foi julgado por participação em eventos na companhia do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos). Por causa da punição, Bretas não poderá ganhar nenhuma promoção durante um ano. Por 12 votos a 1, os desembargadores consideraram que o juiz federal praticou autopromoção e superexposição de sua imagem. No entanto, o processo por atuação político-partidária foi arquivado, seguindo voto do relator, o desembargador Ivan Athié.

Os eventos que geraram o processo ocorreram em 15 de fevereiro. Bretas participou da inauguração de uma alça da Ponte Rio-Niterói e de um evento religioso na Praia de Botafogo, que contaram com a presença de Bolsonaro e Crivella. A ação contra o juiz federal foi protocolada pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE), após pedido da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.