Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Brasil reforça apoio a Guaidó, mas descarta intervenção na Venezuela

Brasil reforça apoio a Guaidó, mas descarta intervenção na Venezuela

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, descartou a possibilidade de intervenção militar na Venezuela. Heleno participou de uma reunião na tarde desta terça-feira (30) com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e outros ministros para discutir a situação no país vizinho. O Palácio do Planalto informou que o governo brasileiro está incentivando todos os países a se colocarem ao lado do autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, e pela saída do ditador Nicolás Maduro. Em nota, o porta-voz da Presidência, general Otávio do Rêgo Barros, disse que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) acompanha “com muita atenção” os últimos episódios na Venezuela e demonstrou apoio a uma transição democrática no país.

Por que é importante
A Venezuela vive um novo dia de tensão depois que Juan Guaidó, líder da oposição e autoproclamado presidente, disse ter obtido apoio dos militares para derrubar o ditador Nicolás Maduro.
Quem ganha
Os militares que integram o governo brasileiro, contrários a uma intervenção no país vizinho
Quem perde
A ala ligada ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, favorável a uma ação mais enfática