Document
PATROCINADORES

Bolsonaristas falaram em “guerra” contra STF, revela áudio da PF

Um relatório da Polícia Federal (PF) divulgado neste domingo (6) pelo programa Fantástico, da TV Globo, divulgou áudios em que parlamentares aliados do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) citam a intenção de criar uma “guerra institucional” contra o Supremo Tribunal Federal (STF). A conversa envolve a deputada Bia Kicis (PSL-DF), atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, com o empresário bolsonarista Otávio Fakhoury, em 22 de maio de 2020.

A escuta da PF faz parte da investigação dos atos antidemocráticos que pediam o fechamento do STF, do Congresso e a reedição de uma medição cerceando as liberdades democráticas, nos moldes do antigo Ato Institucional Número 5 (AI-5), promulgado na Ditadura Militar.

A revelação da conversa ocorre depois que a Procuradoria-Geral da República (PGR) recomendou, na sexta-feira (4), o arquivamento das investigações sobre a participação da parlamentares no atos por falta de provas. A conversa entre Kicis e Fakhoury ocorreu depois do STF ter limitado os efeitos de um medida provisória do Executivo que isentava agentes públicos de responsabilização civil e administrativa no combate à pandemia. A decisão exige que o governo siga critérios científicos reconhecidos por autoridades médicas e sanitárias. E que o abandono da ciência configuraria “erro grosseiro”.

Confira os principais trechos do diálogo:

“O Barroso chegou a citar a hidroxicloroquina. Ou seja, estão querendo impedir o Bolsonaro de… de recomendar né?”
Deputada Bia Kicis (PSL-SP).

“Canalhas […] Olha, vai ser muito difícil terminar esse governo sem entrar de cabeça em uma guerra institucional com eles… Porque eles é que invadem o Executivo”
Otávio Fakhoury, empresário

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.