Document
PATROCINADORES

Após três quedas seguidas, confiança de serviços volta a melhorar

O Índice de Confiança de Serviços (ICS), divulgado nesta sexta-feira (30) pela Fundação Getulio Vargas, subiu 4,1 pontos em abril, para 81,7 pontos – em uma escala de zero a 200 pontos. A alta interrompeu uma série de três quedas mensais consecutivas, em razão do agravamento da pandemia do novo coronavírus no início de 2021. O avanço foi puxado principalmente pela melhora das perspectivas em relação os rumos dos negócios nos próximos meses. O Índice de Situação Atual (ISA-S) variou 0,4 ponto, acomodando em 74,8 pontos, depois de três baixas seguidas. O Índice de Expectativas (IE-S) saltou 7,4 pontos, para 88,7 pontos, revertendo parcialmente o tombo acumulado nos três primeiros meses do ano (-10,7 pontos). “O resultado positivo da confiança de serviços precisa ser enxergado com cautela por dois motivos, primeiro porque compensa 73% das perdas do mês de março, mas também porque foi influenciada, quase totalmente, pelo retorno das expectativas ao nível ligeiramente superior ao de fevereiro”, avaliou Rodolpho Tobler, economista do FGV IBRE. “Nesse sentido, a acomodação dos indicadores que representam a situação atual os mantém em patamar muito baixo confirmando as dificuldades enfrentadas pelas empresas do setor nos últimos meses. A continuidade da recuperação nos próximos meses depende de sinalizações mais positivas em relação a pandemia e ampliação do programa de vacinação”, completou.

Por que é importante

O setor de serviços, principalmente as atividades com atendimento presencial, está entre os mais afetados pelas medidas de distanciamento social impostas pela pandemia

Quem ganha

A perspectiva de uma retomada consistente, que será possível com um avanço mais acelerado da vacinação

Quem perde

Os negócios que acabaram fechando diante da gravidade da crise

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Pergunte para a

Mônica.