Document
PATROCINADORES

60 milhões de doses e entrega ainda em 2020: a oferta inicial do Butantan ao governo federal

Na abertura de seu depoimento na CPI da Pandemia, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que houve um oferecimento de 60 milhões de doses da CoronaVac ao governo federal ainda em julho de 2020. Covas acrescentou que a proposta, que ficou sem retorno, previa a entrega do imunizante já no quarto trimestre do ano passado.

“Mandei um ofício no dia 30 de julho de 2020, ressaltando a importância de tomar essa iniciativa num momento que não tinha a vacina. Ofertamos 60 milhões de doses que poderiam ser entregues no último trimestre de 2020”, contou. “Um pouquinho depois, como não houve uma resposta efetiva, nós reforçamos o ofício. Em agosto, além de reforçar o ofício, solicitamos apoio financeiro do ministério (da Saúde) para apoiar o estudo clínico, com previsão de custo de R$ 100 milhões, e para reformar a fábrica”, acrescentou.

Dimas Covas também falou sobre o episódio em que o presidente Jair Bolsonaro, nas redes sociais, sinalizou que não compraria “a vacina chinesa de João Doria”, em referência ao governador paulista e ao país da farmacêutica Sinovac, parceira do Butantan. O diretor relembrou que as tratativas com o Ministério da Saúde até então avançavam sem percalços e que o chefe da pasta na ocasião, Eduardo Pazuello, iria anunciar a CoronaVac como “a vacina do Brasil”.

“Tudo aparentemente estava indo muito bem, tanto é que no dia 20 de outubro fui convidado por Pazzuello para cerimônia no ministério onde vacina seria anunciada, e anunciou naquele momento na presença de governadores e parlamentares”, destacou. “Aí no outro dia de manhã, infelizmente as conversações não prosseguiram porque houve manifestação do presidente Jair Bolsonaro dizendo que vacina não seria incorporada.”

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.