Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Motoristas de Uber não tem vínculo trabalhista com app, diz STJ

Motoristas de Uber não tem vínculo trabalhista com app, diz STJ

Decisão publicada na quarta-feira (4) pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabelece que os motoristas que usam o Uber para conseguir passageiros não têm vínculo empregatício com a empresa. “Os motoristas de aplicativo não mantém relação hierárquica porque seus serviços são prestados de forma eventual, sem horários pré-estabelecidos e não recebem salário fixo, o que descaracteriza o vínculo empregatício entre as partes”, disse o voto do relator, ministro Moura Ribeiro, acompanhado pelos colegas. “As ferramentas tecnológicas disponíveis permitiram criar uma nova modalidade de interação econômica, fazendo surgir a economia compartilhada, em que a prestação de serviços por detentores de veículos particulares é intermediada por aplicativos geridos por empresas de tecnologia. Nesse processo, os motoristas atuam como empreendedores individuais, sem vínculo de emprego com a empresa dona da plataforma”, diz o texto.

Por que é importante
A decisão é importante porque ajuda a criar normas estáveis para um setor do mercado de trabalho crescente. Além do Uber, aplicativos como Rappi oferecem seus serviços para conectar prestadores de serviços a clientes
Quem ganha
O Uber e aplicativos que atuam na chamada economia compartilhada
Quem perde
Trabalhadores que buscavam vínculo empregatício com aplicativos como o Uber
Tags

Envie seu comentário