PATROCINADORES

Fusões e aquisições crescem no setor da educação

Duas grandes operações na semana, a incorporação da americana Adtalem pela Yduqs, por R$ 1,9 bilhão, e a compra de seis escolas pela Positivo Educacional sinalizam o início de uma nova corrida no mercado de ensino. Somados, os contratos assinados nos últimos dias chegaram a R$ 2,1 bilhões em investimentos. Para se ter ideia do tamanho do negócio, as empresas somam 678 mil alunos e geram, juntas, receitas de R$ 4,48 bilhões por ano. A operação não precisará ser aprovada por assembleia de acionistas, mas ainda depende da anuência do Conselho Administrativo da Defesa da Concorrência (Cade).

Por que é importante

Segundo a KPMG, no primeiro semestre do ano houve 15 fusões e aquisições no mercado de educação do país. No mesmo período do ano passado, foram 13. Não é apenas o setor de educação que está ativo. Em toda a economia, 55 operações envolvendo empresas brasileiras somaram R$ 108,6 bilhões no primeiro semestre, resultado 20% superior aos R$ 90,6 bilhões contabilizados nos seis primeiros meses do ano passado, segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima)

Quem ganha

A Yduqs. Com o negócio, o grupo recupera a segunda colocação no ranking de maiores instituições privadas no segmento de graduação do país, ficando atrás somente da Kroton (atual Cogna), que segue na liderança, de acordo com dados da consultoria Hoper Educação

Quem perde

A Universidade Paulista (Unip), que perdeu para a Yduqs o segundo lugar no ranking das maiores instituições privadas de ensino do país

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Pergunte para a

Mônica.