Document
PATROCINADORES

Faturamento do setor de seguros sobe 12,2% no primeiro trimestre

O novo Boletim IRB+Mercado, relatório da plataforma IRB+Inteligência, apontou uma variação positiva do mercado segurador no primeiro trimestre de 2021. A análise, com foco nos seguros de danos, responsabilidades e pessoas, indicou que o setor registrou volume recorde e faturou R$ 32,5 bilhões nos três primeiros meses do ano – 12,2% a mais que em igual período de 2020. Separadamente, o faturamento em março fechou em R$ 11,5 bilhões, alta de 14% na comparação com o mesmo mês no ano passado. Esse foi décimo avanço mensal consecutivo.

Em março, o segmento de vida, que representou 36% do faturamento do setor no primeiro trimestre, registrou R$ 4,2 bilhões; automóveis, R$ 3,1 bilhões; corporativo de danos e responsabilidades, R$ 2 bilhões; individual contra danos, R$ 956 milhões; rural, R$ 858 milhões; e crédito e garantia, R$ 403 milhões. Já no acumulado de janeiro a março, os segmentos de seguros obtiveram: R$ 11,8 bilhões (vida), R$ 8,6 bilhões (automóveis), R$ 6,4 bilhões (corporativo de danos e responsabilidades), R$ 3 bilhões (individual contra danos), R$ 1,8 bilhão (rural) e R$ 1 bilhão (crédito e garantia).

Os seguros de vida individuais e coletivos tiveram expansão de 15,1% no primeiro trimestre do ano, seguido do prestamista que detém 32% do segmento de vida e cresceu 4,8%. Corporativo de danos e responsabilidades foi o segmento que mais gerou faturamento para o mercado no comparativo entre o primeiro trimestre de 2021 e 2020: R$ 1,4 bilhão a mais, seguido de vida com aumento de R$ 874 milhões. Automóveis, que sofreu os impactos da pandemia, manteve, nos dois últimos meses do trimestre, taxas positivas de evolução e fechou o 1T21 com crescimento de 2,9% em relação ao 1T20. Pelo segundo mês consecutivo, houve registro no aumento do faturamento.

O segmento corporativo de danos e responsabilidades conquistou a maior taxa de crescimento da série histórica desde 2014 para o primeiro trimestre de um ano: 28,3%. Riscos nomeados e operacionais foi a cobertura que mais contribuiu para o desempenho deste segmento (25,7%), seguido por lucros cessantes que triplicou o faturamento. Houve recorde de faturamento na cobertura de Petróleo (R$ 457,8 milhões), alta de 69,9%.

O seguro individual contra danos fechou em alta de 16,5% no acumulado entre janeiro e março. Os produtos que mais contribuíram para o crescimento do segmento foram compreensivo empresarial (alta de 26,1%), compreensivo residencial (14,3%) e fiança locatícia (57,4%). Já o setor rural manteve o ritmo que vem obtendo desde 2020 e teve variação positiva de 40,7% no primeiro trimestre de 2021, bem como 44,7% no mês de março. Outro destaque foi o segmento crédito e garantia, que avançou 9,8% no trimestre, sobretudo devido ao produto crédito interno (33,4%).

A análise mostra que o índice de despesas com sinistros ocorridos sobre o faturamento de competência, em março, apresentou aumento de 2,1 pontos percentuais (p.p.) na comparação com o mesmo mês de 2020. No trimestre, o índice também apresentou incremento de 2,9 p.p. a mais em relação à taxa registrada no mesmo período de 2020.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.