Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Exame: desmatamento representa um risco de US$ 1,3 bilhão para a JBS

Exame: desmatamento representa um risco de US$ 1,3 bilhão para a JBS

O desmatamento não é um problema recente. Mas, a preocupação do mercado financeiro com a destruição do meio ambiente só ganhou força nos últimos meses, ao ponto dos maiores bancos brasileiros formarem uma aliança para defender as florestas. O cenário cria um risco para empresas de setores associados ao desmatamento. O legado dessa destruição pode fechar a porta dos financiamentos, o que gera perdas financeiras reais e calculáveis.

É o que mostra um estudo realizado pela Chain Reaction Research (CRR), consórcio de entidades conservacionistas que realiza estudos financeiros e de risco sobre temas ambientais. A organização analisou o desmatamento na cadeia de fornecimento da maior empresa brasileira em faturamento, a JBS. O que ela encontrou foi uma exposição “descomunal” a riscos associados com a atividade destrutiva. E isso pode custar à companhia 26% do seu lucro, o equivalente a US$ 1,3 bilhão, e um custo de capital 30% mais elevado.

Foram analisadas 983 fazendas que fornecem diretamente para a JBS e 1.874 que vendem indiretamente, ou seja, são controladas por fornecedores diretos. No primeiro caso, o desmatamento registrado alcança 200 mil hectares nos últimos 12 anos. O maior problema está nos indiretos: 1,5 milhão de hectares no mesmo período. Somada, essa cadeia responde por 8% de todo desmatamento do Brasil.

“A JBS está em uma encruzilhada”, afirma Tim Steinweg, analista da CRR. “Ou ela resolve os riscos relacionados ao desmatamento em toda sua cadeia, ou arrisca perder acesso ao mercado financeiro internacional.”

Para chegar a essa conclusão, o estudo analisou quatro cenários, calculando os prejuízos de impactos baixo, médio e alto. Os maiores riscos decorrentes do desmatamento incluem o fechamento de fábricas, perda de acionistas, restrição à exportação, maior sensibilidade dos consumidores ao tema (especialmente na China) e concorrência com as carnes produzidas a partir de vegetais.

Problema real

Embora ainda em pequena escala, algumas dessas consequências negativas já podem ser verificadas. Em julho, o grupo sueco Nordea Asset Management, que conta com € 220 bilhões sob gestão, decidiu excluir a empresa de todos os fundos que administra.

Segundo Eric Pedersen, o chefe da área de Investimentos Responsáveis da gestora, a decisão se deu após um período de conversas entre o Nordea e a empresa brasileira, em que questões relativas ao meio ambiente e à governança corporativa não foram respondidas a contento.

Superando expectativas

No segundo trimestre deste ano, a JBS superou a Petrobras em receita pela primeira vez, segundo levantamento da empresa de informações financeiras Economática.

Entre abril e junho, a receita da JBS chegou a R$ 67,6 bilhões, aumento de 32,9% na comparação com o segundo trimestre de 2019. Já a Petrobras teve uma receita de R$ 50,9 bilhões, queda de 29,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Aproximadamente 74% das vendas globais da JBS no período foram realizadas nos mercados domésticos em que a companhia atua e 26% por meio de exportações.

Por Rodrigo Caetano

Publicado originalmente em https://exame.com/esg/desmatamento-representa-um-risco-de-us-13-bilhao-para-a-jbs/

Envie seu comentário

5 × 1 =