PATROCINADORES

Aéreas da América Latina sofrem com onda de protestos no continente

O ano foi difícil para as companhias aéreas da América Latina, mas 2020 será melhor. Quem diz isso é a Associação Internacional do Transporte Aéreo (Iata). Segundo a entidade, em 2019 as empresas do continente terão, juntas, prejuízos de US$ 400 milhões, o que se deve principalmente à onda de manifestações que paralisou as atividades e afetou os voos em diversos países.

“Os protestos atuais são de uma escala raramente vista nos últimos anos”, afirmou a associação.

É fácil mensurar os estragos provocados pelas revoltas populares. No início do ano, antes da explosão de protestos em nações como Chile, Colômbia e Equador, a Iata esperava que as aéreas encerrariam 2019 com ganhos de US$ 700 milhões – bem diferente, portanto, do balanço final das empresas. Para 2020, a Iata vislumbra um cenário menos turbulento, com resultado positivo de US$ 100 milhões. Isso, claro, se a América Latina não continuar reservando surpresas.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.