PATROCINADORES

“Politicamente correto veio para nos fazer evoluir”, diz CEO da WMcCann

Há quem diga que o politicamente correto acabou com o bom humor — e cerceou parte da liberdade dos publicitários. Hugo Rodrigues, CEO da WMcCann, uma das maiores agências de publicidade do Brasil, discorda. “Eu acredito que é preciso um choque para provocar mudanças e o politicamente correto, de uma forma dura, nos faz evoluir”, disse, em entrevista a MONEY REPORT. Rodrigues diz que, até pouco tempo atrás, vivíamos numa sociedade que era muito permissiva — e essa permissividade não era necessariamente positiva. “O politicamente correto parece exagerado mas é necessário. As próximas gerações terão um futuro melhor.”

Na entrevista, Rodrigues, que assumiu o comando da WMcCann em 2017, sucedendo Washington Olivetto, falou sobre o papel do publicitário numa sociedade que evolui de forma rápida com as novas tecnologias e as redes sociais. Para ele, hoje é quase impossível uma campanha se tornar um grande sucesso. “Temos vários públicos, todos têm uma opinião, que torna muito difícil atingir uma unanimidade.”

Mas essa fragmentação facilita o engajamento das marcas com o público (ou os públicos). Ele explica que hoje é mais fácil engajar os pequenos grupos — e transformá-lo em engajadores de outros grupos. Além disso, a sociedade aceita que pessoas e marcas falem bem de si próprias e divulguem as boas ações que fazem. “No passado você fazia o bem e não poderia falar sobre. Hoje é importante que você fale.”

Apesar de achar o politicamente correto necessário, o CEO da WMcCann diz que não é papel da publicidade “educar” a sociedade em torno de causas como diversidade, inclusão e luta contra vieses e preconceitos. “O publicitário não é um artista, é um profissional contratado para realizar um serviço.” E quanto as marcas, qual é o papel delas? Elas devem se engajar nas causas sociais? “As marcas já pagam impostos para ajudar a desenvolver a sociedade e não podemos jogar a responsabilidade nelas.” Mesmo assim, ele diz, “muitas marcas já fazem muito”.


Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + dezenove =