PATROCINADORES

Walmart cresce com a pandemia

A recessão provocada pela crise sanitária do coronavírus derreteu em pouco tempo cerca de US$ 805 bilhões das fortunas combinadas das 500 pessoas mais ricas do mundo. A estimativa é do Bloomberg Billionaires Index. Mas há quem tenha ficado ainda mais próspero. É o caso da família Walton, os controladores da rede Walmart e reis das compras baratas nos Estados Unidos e outros países.

Enquanto os consumidores se isolam e cortam tudo que é supérfluo, também fazem fila nas unidades da rede para adquirir estoques de itens que julgam essenciais. Com isso, a estimativa é que o patrimônio líquido combinado dos irmãos Alice, Jim e Rob Walton tenha subido 2,6% ao longo do primeiro trimestre de 2020, atingindo US$ 165,7 bilhões, impulsionando ainda mais a marca.

As ações da Walmart subiram 6,1% na segunda-feira (6), enquanto houve uma queda média de 18% no índice da agência de risco Standard & Poor’s que analisa as 500 maiores empresas cotadas nas bolsas Nasdaq ou de Nova York (S&P 500).  

De acordo com a Bloomberg, apenas 82 pessoas em seu ranking de bilionários globais estão lucrando de verdade este ano. Entre estes, o líder é Jeff Bezos, fundador da Amazon.com, e Eric Yuan, da Zoom Video, dona do software de teleconferência que ganha mais e mais mercado no momento. Mas são os Walton que se destacam como uma anomalia, pois seu negócio depende de compras presenciais.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + 7 =

Pergunte para a

Mônica.