PATROCINADORES

Sem CPMF, Paulo Guedes quer combater privilégios em reforma

Após o veto do presidente Jair Bolsonaro ao retorno da CPMF, que culminou na demissão do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, a equipe econômica prepara uma nova versão para a reforma tributária. Reportagem publicada nesta sexta-feira (13) pelo jornal Folha de S. Paulo revela que o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem planos de combater os privilégios tributários para compensar a perda de arrecadação sem o imposto sobre transações financeiras. A ideia é aumentar a cobrança no topo da pirâmide social, promovendo medidas como tributação de dividendos e fim de isenções e descontos no imposto de renda para determinados investimentos.

Por que é importante

Sem a CPMF, Guedes procura novas formas de viabilizar a desoneração da folha de pagamento, considerada fundamental para gerar mais empregos

Quem ganha

Cadeias produtivas mais longas, que seriam prejudicadas pelo caráter cumulativo da CPMF

Quem perde

Investidores, que devem assistir a um aumento na tributação sobre suas aplicações

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 1 =

Pergunte para a

Mônica.