PATROCINADORES

Preços na indústria abrem 2021 com alta de 3,36%, mostra IBGE

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica, sem impostos e frete”, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação, avançou 3,36% em janeiro de 2021 frente a dezembro de 2020. A taxa é bem maior que a apresentada na passagem de novembro para dezembro, de 0,39%, e representa a segunda maior alta da série histórica, iniciada em janeiro de 2014, atrás apenas de outubro de 2020 (3,41%). Com o resultado, o acumulado dos últimos 12 meses alcançou 22,96%.

Conforme os dados divulgados nesta terça-feira (2) pelo IBGE, todas as 24 atividades tiveram elevação de preços em janeiro, contra 17 em dezembro. O destaque ficou para o setor das indústrias extrativas, que registrou a maior alta (10,70%) e também foi a maior influência no resultado geral (0,59 ponto percentual).

Outra atividade que teve expansão destacada na pesquisa foi metalurgia, a segunda maior (6,10%) do mês e a terceira em influência (0,40 ponto percentual). Segunda em influência (0,45 p.p.) e terceira maior alta no geral, a atividade de refino de petróleo e produtos de álcool (5,30%) teve seu resultado ligado aos produtos derivados do óleo bruto de petróleo, como gasolina e o óleo diesel.

Já os alimentos voltaram ao campo positivo (1,26%) em janeiro, depois de uma variação de -1,05% em dezembro, pressionados principalmente cadeia de soja. Os preços da commodity estão elevados no mercado externo.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × quatro =

Pergunte para a

Mônica.