Document
PATROCINADORES

Preços de imóveis residenciais têm alta de 0,50% em agosto

O Índice FipeZap, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades brasileiras, apresentou alta de 0,50% em agosto, após avançar 0,64% em julho. A expectativa para a variação do Índices de Preços ao Consumidor (IPCA) de agosto de 2021 é de alta de 0,60%, segundo informação disponível na última publicação do Boletim Focus do Banco Central (BC), divulgado na terça-feira (31). Se efetivado, representa uma queda real de 0,10% no FipeZap.

Das 50 cidades monitoradas, 47 apresentaram aumento de preço no último mês. Considerando apenas as capitais, à exceção de Salvador (-0,20%), as demais registraram variação positiva, com destaque para Vitória (2,73%), Curitiba (1,78%), Maceió (1,77%), Florianópolis (1,45%) e Goiânia (1,39%). Em São Paulo e Rio de Janeiro, as capitais com maior representatividade no cálculo mensal, as altas foram de 0,35% e 0,20%, respectivamente.

Balanço parcial de 2021: até agosto, o índice acumula alta nominal de 3,34%, inferior à inflação ao consumidor de 5,39%, de acordo com o IPCA. Se a expectativa dos analistas se confirmar, a relação entre a variação acumulada do FipeZap e da inflação ao consumidor apurada pelo IBGE resultará em um recuo de 1,94% do preço médio residencial, em termos reais. A alta nominal no índice no balanço parcial de 2021 é impulsionada pelas variações de preço registradas em todas as capitais monitoradas pelo índice. Destaques: Vitória (13,13%), Maceió (10,88%), Curitiba (9,91%), Florianópolis (9,81%), Goiânia (8,28%), Manaus (7,60%) e Brasília (5,71%). As menores variações foram observadas em: Belo Horizonte (1,16%), Campo Grande (1,17%), Salvador (1,45%), Rio de Janeiro (1,47%) e Recife (+2,41%).

Análise dos últimos 12 meses: nesse horizonte mais amplo, apresenta um avanço nominal de 5,27%. Na comparação com a inflação acumulada pelo IPCA/IBGE (9,39%), o FipeZap apresenta queda de 3,76%, em termos reais. Vale notar que, como no balanço parcial de 2021, todas as 16 capitais monitoradas registraram elevação nominal no preço médio nos últimos 12 meses. Destaque: Vitória (18,33%), Maceió (15,55%), Curitiba (14,50%), Manaus (13,71%), Florianópolis (11,94%) e Goiânia (11,80%). Em São Paulo e no Rio de Janeiro, as altas acumuladas nos últimos 12 meses encerrados em agosto foram de 4,33% e 2,84%, respectivamente.

Preço médio de venda residencial: com base na amostra de anúncios de imóveis residenciais para venda em agosto de 2021, o preço médio calculado entre as 50 cidades monitoradas foi de R$ 7.738/m². Dentre as 16 capitais acompanhadas pelo índice, São Paulo apresentou o preço médio mais elevado no último mês (R$ 9.602/m²), seguida por Rio de Janeiro (R$ 9.584/m²) e Brasília (R$ 8.503/m²). Entre as capitais monitoradas com menor valor médio, vale mencionar: Campo Grande (R$ 4.362/m²), João Pessoa (R$ 4.729/m²) e Goiânia (R$ 4.870/m²).

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.