Document
PATROCINADORES

PIB cresce 1,2% no primeiro trimestre e volta ao patamar pré-pandemia

O IBGE divulgou nesta terça-feira (1) que o PIB cresceu 1,2% no primeiro trimestre de 2021 na comparação com o quarto trimestre de 2020. Esse foi o terceiro resultado trimestral positivo, depois dos recuos no primeiro (-2,2%) e no segundo (-9,2%) trimestres do ano passado, quando a economia encolheu 4,1%, afetada pela pandemia do novo coronavírus. Em valores correntes, a soma dos bens e serviços produzidos no Brasil chegou a R$ 2,048 trilhões.

A expansão veio dos resultados positivos na agropecuária (5,7%), na indústria (0,7%) e nos serviços (0,4%). “Mesmo com a segunda onda, o PIB cresceu no primeiro trimestre, já que, diferente do ano passado, não houve tantas restrições que impediram o funcionamento das atividades econômicas no país”, observou a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis.

A pressão da inflação e o mercado de trabalho desaquecido pesaram no consumo das famílias (-0,1%). Já o consumo do governo teve queda de 0,8%. Os investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo) subiram 4,6%, influenciados pelo aumento na produção interna de bens de capital e no desenvolvimento de softwares. A balança comercial teve uma alta de 3,7% nas exportações de bens e serviços, enquanto as importações cresceram 11,6%.

Com o desempenho de janeiro a março deste ano, a economia brasileira voltou ao patamar do quarto trimestre de 2019, período pré-crise sanitária. Apesar disso, a atividade econômica ainda está 3,1% abaixo do ponto mais alto já apurado, alcançado no primeiro trimestre de 2014.

Em relação ao primeiro trimestre de 2020, o PIB expandiu 1,0%, com alta de 5,2% na agropecuária e de 3,0% na indústria. Já os serviços recuaram 0,8%. Pela ótica da despesa, destaque para os investimentos (Formação Bruta de Capital Fixo) com crescimento de 17,0%, maior taxa desde o segundo trimestre de 2010. Já o consumo das famílias recuou 1,7%. Também contraiu o consumo do governo(-4,9%). No que se refere ao setor externo, as exportações tiveram alta de 0,8%, enquanto as importações avançaram 7,7% em relação ao terceiro trimestre de 2020.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.