PATROCINADORES

Ministro descarta votar Previdência após as eleições

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, reafirmou nesta terça-feira (23) que o plano do governo é que a reforma da Previdência seja votada em fevereiro na Câmara. Ele descartou qualquer possiblidade de a votação ficar para novembro, após as eleições. Além disso, Dyogo Oliveira informou que o governo fará contingenciamento no Orçamento de 2018 após reavaliação de expectativas de receitas e despesas, que incluem a privatização da Eletrobras. Segundo o ministro, não há definição ainda sobre a incorporação de estimativas de receitas com a Eletrobras em 2018.

Por que é importante

A Secretaria da Previdência do Ministério da Fazenda divulgou nesta segunda-feira (22) que o Regime Geral da Previdência Social (RRPS) registrou déficit de R$ 182,45 bilhões no ano passado. O rombo equivale a 2,8% do PIB

Quem ganha

A aprovação da reforma, segundo o ministro, é fundamental para resolver o problema das contas públicas no Brasil

Quem perde

Quanto mais se gasta com a Previdência, menos se gasta com saúde e educação

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 1 =