PATROCINADORES

Governo adota medidas protecionistas

O presidente Jair Bolsonaro prorrogou sete medidas antidumping e criou três novas entre janeiro e julho deste ano, de acordo com informações do Ministério da Economia. O dumping acontece quando uma empresa exporta um produto por um preço abaixo do praticado no seu mercado de origem. A iniciativa contraria o discurso de abertura comercial do ministro Paulo Guedes

As medidas protecionistas, com duração de cinco anos, atingem China, Alemanha, Coreia do Sul, Chile, Taiwan, Peru e Bareine. Entre os produtos que são alvo do dispositivo estão plástico para embalagens, ventiladores, aço, pneus de automóveis e papel cartão. O ápice da utilização de medidas antidumping se deu durante o governo Dilma Roussef (PT), quando, em 2013 e 2014, o Brasil adotou o dispositivo 43 e 42 vezes, respectivamente.

Por que é importante

As medidas antidumping foram muito utilizadas durante o governo Dilma Roussef (PT), mas vinham diminuindo desde o governo Temer (MDB)

Quem ganha

Empresas que serão beneficiadas pelas medidas

Quem perde

O país, que passa a criar distorções no sistema de concorrência caso as medidas sejam aplicadas por um período prolongado

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =

Pergunte para a

Mônica.