PATROCINADORES

Bolsonaro diz que novo tributo “não é a CPMF”

Sem se pronunciar contra ou a favor, o presidente Jair Bolsonaro disse ontem (18) que o imposto sobre transações eletrônicas, defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nada tem a ver com a antiga CPMF e que seu objetivo é desonerar a folha de pagamento das empresas. “O que ele está propondo não é a CPMF”, afirmou Bolsonaro. “É uma compensação, eliminar um montão de encargos em troca de outros. Agora, se a sociedade não quiser, não tem problema nenhum”.

O presidente ponderou que “não é fácil a vida dos patrões”. “O pessoal fala que a vida dos empregados é difícil, e é. Mas a dos patrões também é difícil. Não adianta ter um montão de direitos e não ter empregos”, vaticinou.

Por que é importante

O novo tributo, nos moldes da CPMF, vem sendo defendido frequentemente pelo ministro da Economia, Paulo Guedes

Quem ganha

Os empresários, que poderiam arcar com menos tributos sobre as folhas de pagamento

Quem perde

Os adversários de qualquer imposto que tenha semelhança com a antiga CPMF, como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 7 =