PATROCINADORES

BNDES reorganiza diretoria

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou neste domingo (6), que nos próximos dias reorganizará sua diretoria, para atender às novas demandas de desestatizações e infraestrutura e oferecer mais apoio aos modelos inovadores de financiamento e ações socioambientais.

Desde julho de 2019, quando ocorreu a posse de Gustavo Montezano na presidência do BNDES, foram registradas avanços nas cinco metas propostas por ele: transparência; aceleração da venda de participações acionárias especulativas do banco; devolução de aportes extraordinários do Tesouro Nacional; Plano Trienal com metas claras e de impacto para sociedade e transformação do BNDES em uma Fábrica de Projetos para governos.

O BNDES tem hoje em curso 120 projetos, que resultarão em mais de R$ 240 bilhões em recursos ao país. O banco salientou a realização de leilões significativos, entre os quais o da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (CEDAE).

Com foco na retomada econômica sustentável pós-pandemia, o BNDES promoveu a integração da gestão da Fábrica de Projetos, reunindo as diretorias de Privatizações e de Infraestrutura, PPPs e Concessões, na nova diretoria de Concessões e Privatizações, sob o comando de Fabio Abrahão. A reorganização ocorreu simultaneamente ao pedido de saída do então diretor de Privatizações, Leonardo Cabral, que decidiu se afastar do serviço público, no qual havia ingressado em 2016.

Crédito e garantias

A atual diretoria de Crédito e Garantias será substituída por duas novas, cada uma com atuações específicas. A Diretoria de Crédito a Infraestrutura, sob gestão de Petrônio Cançado, terá como missão atender à demanda crescente por financiamentos de longo prazo dos projetos de infraestrutura, em decorrência do avanço das concessões federais e estaduais nos últimos meses.

A Diretoria de Crédito Produtivo e Socioambiental será chefiada por Bruno Aranha, ex-chefe de gabinete da presidência desde o início da gestão de Montezano. Ele será responsável pelos financiamentos a indústrias, comércio e serviços, bem como o apoio ao comércio exterior, além de liderar a área de gestão pública e socioambiental. Em seu lugar, na chefia de gabinete, assume Alice Lopes, funcionária de carreira há mais de 15 anos, que atuava como assessora no gabinete da presidência.

(Com Agência Brasil)

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.