PATROCINADORES

Você está preparado para surfar na era da ‘internet do valor’?

Desde sua popularização, a internet transformou – revolucionou – a forma como consumimos informações. Mas é um erro acreditar que o impacto dela vai se restringir a isso. Novas tecnologias digitais, como o blockchain, prometem causar uma revolução sem precedentes não com as informações, mas com um algo intangível: a geração de valor. A forma de participar desse mundo que ainda está sendo criado é por meio de ativos digitais, ou criptomoedas, como são conhecidas popularmente. Esse processo está apenas no começo – e quem participar disso poderá ganhar muito no longo prazo.

Essa é a tese por trás da Hashdex, uma fintech que atua para revolucionar os investimentos em criptomoedas. A Hashdex criou um índice composto por várias moedas virtuais (ou ativos digitais, como eles preferem chamar), do qual o bitcoin é apenas uma delas. É um índice nos moldes do Ibovespa ou do Dow Jones. A partir desse índice, eles criaram três fundos de investimento, que são oferecidos aos investidores.

“Entendemos que o mercado está crescendo e tem muito potencial no longo prazo”, diz Marcelo Sampaio, CEO da Hashdex. “Oferecemos ferramentas para os investidores ganharem exposição a essa classe de ativos de forma segura e regulada.”

Ele cita como exemplo desse potencial o que ocorreu na “era da internet da informação”. No começo, a internet era uma plataforma que se restringia à troca de e-mails. Hoje, vemos que o “correio eletrônico” foi uma ínfima parte do potencial do uso de informações da rede. Com o blockchain, o potencial é parecido – mas, em vez de informação, o ativo a ser revolucionado é a geração de valor.

MONEY REPORT inicia hoje uma série para apresentar o universo dos ativos digitais. Na primeira entrevista, Sampaio apresenta a Hashdex, seus produtos e a tese de investimento. Nos próximos vídeos, os temas serão detalhados. Confira:

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

2 respostas

  1. Definitivamente sim, caro Alberto. Mais confiável que o modelo monetário atual, por meio dos bancos. Claro que não são todas as mais de 5000 criptomoedas existentes atualmente que são confiáveis, mas, há muitos projetos sólidos e descentralizados que nos dão muita confiança… Isso sem falarmos do pioneiro, o Bitcoin…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezesseis + 14 =

Pergunte para a

Mônica.