PATROCINADORES

“Renda fixa ainda é rentável”

A queda da Selic para 6% ao ano colocou o juro real (descontada a inflação) num patamar abaixo de 3% ao ano. Há algumas décadas, o juro real ficava acima de 15% a.a. Essa queda levou muitos investidores a fugir de aplicações de renda fixa, como Certificado de Depósito Bancário (CDB), Tesouro Direto, Letra de Crédito do Agronegócio (LCA), Letra de Crédito Imobiliário (LCI), entre outros. De fato, a rentabilidade dessas aplicações caiu muito em relação ao que era antes. Mas isso significa que as aplicações de renda fixa devem sair do portfólio do investidor?

Não, segundo Francis Wagner, fundador do App Renda Fixa, que reúne 3 mil títulos de renda fixa e 12 mil fundos, com cerca de 300 mil usuários cadastrados. “Na comparação global, o Brasil continua com juros altíssimos e a renda fixa ainda oferece boa rentabilidade”, diz. Independentemente disso, aplicações de renda fixa tem sua função estratégica. Por exemplo, é a melhor forma para acumulação de reserva de emergência, que exige liquidez diária. Em entrevista a MONEY REPORT, Wagner fala sobre as oportunidades de investimento e sobre a evolução da educação financeira do brasileiro.


Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × cinco =

Pergunte para a

Mônica.