PATROCINADORES

Moedas virtuais do Facebook e Telegram enfrentam restrições

Nas últimas três semanas, o mercado global de moedas virtuais sofreu aquilo que os economistas chamam de tempestade perfeita. O mais recente episódio veio à tona hoje e envolve a criptomoeda Gram, criada pelo Telegram. A SEC, comissão de valores mobiliários dos Estados Unidos, obteve uma liminar que impede a distribuição desse token digital depois de o Telegram levantar US$ 1,7 bilhão em 2018 com a moeda digital, mas sem conseguir cumprir a meta de entregá-la aos investidores até outubro deste ano. Com isso, o Telegram foi acusado de violar a Securities Act, lei de valores mobiliários dos Estados Unidos, por não registrar a venda da Gram na SEC.

Por que é importante

As moedas virtuais estão sob ataque. Assim como o Gram, a criptomoeda do Facebook, a Libra, sofreu um duro revés. Uma semana depois de o PayPal abandonar a parceria com a Libra, a moeda virtual de Mark Zuckerberg perdeu também o apoio de Mastercard, Visa, eBay e Stripe

Quem ganha

Os investimentos tradicionais, que continuam a ser um porto seguro mesmo com o avanço da tecnologia

Quem perde

As pessoas que investem por impulso, sem conhecer os riscos embutidos em ondas como as moedas virtuais

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × três =

Pergunte para a

Mônica.