PATROCINADORES

Bolsa cai 5,45% na semana. É hora de comprar?

Impactado por uma sucessão de más notícias, o Ibovespa registrou queda de 5,45% no acumulado da semana, retornando aos 93.735 pontos depois de ter rondado os 100 mil pontos. Diante desse cenário, muitos investidores que aplicam seu dinheiro no mercado acionário podem fazer a seguinte pergunta: o momento é de compra, aproveitando que as ações estão baratas, ou aguardar o desenrolar dos fatos?

Na opinião de Filipe Villegas, analista da Genial Investimentos, o investidor deve ter paciência nesse tipo de situação. “Não costumamos recomendar que se atue em dias como hoje (sexta-feira), com viés bem acentuado e forte volume negociado”, analisa. “Acreditamos que na próxima semana, com a estabilização dos preços em algum patamar, o cenário seja melhor para tomar uma decisão. Nunca pegue uma faca que está caindo, deixe-a cair e estabilizar antes de pegar.”

Villegas também ressalta que a boa utilização da análise técnica é fundamental para identificar o melhor momento de investir. “Ajuda a mapear zonas onde acreditamos que possa existir uma força compradora”, explica. “Os 93.500 pontos, por exemplo, podem ser uma primeira região de suporte”. A bolsa, inclusive, chegou a rondar esse patamar nesta sexta (22) e encerrou o pregão um pouco acima da marca.

Perguntado sobre o futuro do índice, o analista demonstra confiança, a despeito da semana turbulenta. “Ainda estou bastante otimista”, disse. “O fato de o Ibovespa já ter alcançado os 100 mil pontos é uma manifestação de otimismo por parte do mercado. Porém, a reforma da Previdência deve ser aprovada apenas no segundo semestre. É natural que surjam alguns ruídos no meio do caminho, como os desta semana”.

A Genial Investimentos trabalha com um cenário base de Ibovespa entre os 115 mil e 120 mil pontos até o fim do ano, caso a reforma previdenciária seja aprovada. Se o projeto não for aprovado pelo Congresso, o índice pode retornar ao patamar dos 75 mil pontos.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.