Document
PATROCINADORES

75% dos usuários de cartão de crédito costumam parcelar compras, aponta Datafolha

Uma pesquisa Datafolha, encomendada pela Associação Brasileira de Internet (Abranet), apontou como a pandemia do novo coronavírus mudou os hábitos de compra do consumidor brasileiro. De acordo com o levantamento, 75% dos usuários de cartão de crédito têm o costume de efetuar suas compras de produtos ou serviços parceladas. O hábito é maior entre as mulheres (78%) do que entre os homens (71%).

As compras de vestuários/joias (54%), bens duráveis (39%) e farmácias (34%) destacam-se entre as categorias nas quais o entrevistado mais utiliza o parcelamento no cartão de crédito. A categoria de bens duráveis, como carros, móveis e eletrodomésticos, é a que apresenta a maior diferença entre o índice de parcelamento habitual e compras à vista. Somente 16% dos entrevistados responderam que têm condições de comprar um bem durável à vista.

A sondagem apontou ainda que 73% dos entrevistados começaram a usar, ou intensificar o uso, de formas de pagamento durante a crise sanitária. Meios de pagamento como parcelamento no cartão de crédito sem juros (33%), transferência entre contas (33%) e boleto bancário (29%) ganharam espaço, em detrimento ao dinheiro ou cartão de débito, que exigem a presença física do consumidor.

“No momento de crise em que vivemos, as vendas a prazo no cartão de crédito são fundamentais para estimular o consumo. Esta é uma realidade que já observávamos antes da pandemia, mas que se acentuou ao longo de 2020. Grande parte das pessoas simplesmente não tem condições de fazer compras à vista”, afirmou o diretor-presidente da Abranet, Eduardo Neger.

O Datafolha ouviu 840 pessoas, entre os dias 8 e 14 de dezembro, com 18 anos ou mais, integrantes de todas as classificações econômicas, possuidoras de cartão de crédito. O levantamento foi realizado nas regiões metropolitanas (47%) e em cidades do interior (53%) das cinco regiões do país. A margem de erro máxima é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, considerando nível de confiança de 95%.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.