Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Desestatização da Eletrobras ficará para 2021

Desestatização da Eletrobras ficará para 2021

As negociações sobre a privatização da Eletrobras devem ser retomadas apenas no próximo ano, afirmou nesta quinta-feira (12) o presidente da companhia, Wilson Ferreira Jr. “Acho que o plano era de haver uma retomada ainda este ano, as discussões em torno dessas questões. Mas ainda tem agora [votação no Congresso sobre] Orçamento, tem as eleições [municipais]. Acredito que a gente terá a retomada dessas discussões do projeto de lei da Eletrobras logo no começo desse ano”, disse.

Ferreira Jr, destacou ainda que tem havido alguma mobilização política contra a proposta após o blecaute que afeta o Amapá desde a semana passada e que teve origem em uma linha de transmissão privada. Ele avaliou que essa pressão não afetará os rumos do processo. Nesta terça-feira (10), o ministro da Economia, Paulo Guedes, se mostrou bastante frustrado pela falta de avanço na agenda de privatizações governo, incluindo a da Eletrobras, mas projetou que a elétrica deve ser uma das primeiras a serem desestatizadas em 2021.

O governo enviou ao Congresso um projeto sobre a privatização da companhia em novembro passado, mas o texto sequer teve relator definido. As conversas junto a parlamentares para que a proposta fosse levada à votação incluíram, sem sucesso, negociações sobre mudanças no texto. Assim, o governo não conseguiu avançar e tampouco apresentou alterações na proposta original.

Controlada pelo governo federal, a Eletrobras é uma holding de capital misto responsável por 37% da geração de energia do Brasil, 36 usinas hidrelétricas, 128 termelétricas e duas termonucleares. No início de 2020, seu valor de mercado era estimado em R$ 60 bilhões.

Envie seu comentário

cinco × três =