Document
PATROCINADORES

Desestatização da Eletrobras ficará para 2021

As negociações sobre a privatização da Eletrobras devem ser retomadas apenas no próximo ano, afirmou nesta quinta-feira (12) o presidente da companhia, Wilson Ferreira Jr. “Acho que o plano era de haver uma retomada ainda este ano, as discussões em torno dessas questões. Mas ainda tem agora [votação no Congresso sobre] Orçamento, tem as eleições [municipais]. Acredito que a gente terá a retomada dessas discussões do projeto de lei da Eletrobras logo no começo desse ano”, disse.

Ferreira Jr, destacou ainda que tem havido alguma mobilização política contra a proposta após o blecaute que afeta o Amapá desde a semana passada e que teve origem em uma linha de transmissão privada. Ele avaliou que essa pressão não afetará os rumos do processo. Nesta terça-feira (10), o ministro da Economia, Paulo Guedes, se mostrou bastante frustrado pela falta de avanço na agenda de privatizações governo, incluindo a da Eletrobras, mas projetou que a elétrica deve ser uma das primeiras a serem desestatizadas em 2021.

O governo enviou ao Congresso um projeto sobre a privatização da companhia em novembro passado, mas o texto sequer teve relator definido. As conversas junto a parlamentares para que a proposta fosse levada à votação incluíram, sem sucesso, negociações sobre mudanças no texto. Assim, o governo não conseguiu avançar e tampouco apresentou alterações na proposta original.

Controlada pelo governo federal, a Eletrobras é uma holding de capital misto responsável por 37% da geração de energia do Brasil, 36 usinas hidrelétricas, 128 termelétricas e duas termonucleares. No início de 2020, seu valor de mercado era estimado em R$ 60 bilhões.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pergunte para a

Mônica.