PATROCINADORES

Tribunal de Tóquio decide não prorrogar prisão de Ghosn e executivo pode ser solto

Por Kiyoshi Takenaka

TÓQUIO (Reuters) – Em uma medida inesperada tomada nesta quinta-feira, um tribunal de Tóquio decidiu não prorrogar a prisão do ex-presidente do conselho de administração da Nissan <7201.T> Carlos Ghosn, o que significa que o executivo pode deixar em breve a prisão onde está detido por suspeita de fraude financeira.

O Tribunal do Distrito de Tóquio também decidiu não prorrogar a detenção de Greg Kelly, ex-diretor da Nissan que foi preso junto com Ghosn em 19 de novembro. Advogados de ambos os executivos não estavam disponíveis de imediato para comentar.

A Procuradoria do Distrito de Tóquio recorreu contra a decisão do tribunal de não prorrogar a prisão de Ghosn e Kelly.

Ghosn liderava a Nissan, a Mitsubishi Motors <7211.T> e a francesa Renault <RENA.PA>.

Ele foi indiciado em 10 de dezembro por supostamente omitir cerca de metade de seu rendimento durante um período de cinco anos a partir de 2010, e teve a prisão renovada no mesmo dia por suspostamente cometer o mesmo crime nos últimos três anos. O último período de 10 dias de detenção terminou nesta quinta-feira.

tagreuters.com2018binary_LYNXNPEEBJ0MJ-VIEWIMAGE

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + dezesseis =

Pergunte para a

Mônica.