PATROCINADORES

Moro terá ampla liberdade para escolher nomes do ministério, diz Bolsonaro

(Reuters) – O juiz federal Sérgio Moro terá “ampla liberdade” para escolher os nomes que vão compor o Ministério da Justiça e Segurança Pública, disse o presidente eleito Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, em vídeo divulgado pelo Twitter.

Moro se reuniu com Bolsonaro no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, e aceitou o convite do presidente eleito para ocupar o cargo à frente da pasta, que deve se tornar um “superministério”. [nL2N1XC115]

Segundo Bolsonaro, ambas as partes chegaram a “100 por cento de acordo” durante a conversa, quando Moro apresentou o que gostaria de fazer à frente do cargo e indagou se teria meios e liberdade para perseguir uma agenda de combate à corrupção, de acordo com o presidente eleito.

O juiz afirmou ao chegar ao Rio, na manhã desta quinta-feira, que sua decisão dependia de Bolsonaro concordar com algumas condições que teria para assumir o cargo.

Em nota divulgada após o encontro na casa do presidente eleito, Moro diz que a “perspectiva de implementar uma forte agenda anticorrupção e anticrime organizado, com respeito à Constituição, à lei e aos direitos” o nortearam na decisão de aceitar o convite.

“Por si só e pelo seu trabalho, (Moro) demonstrou ao povo brasileiro que é possível sim combater um dos maiores males que temos na nossa nação, que é a corrupção”, disse Bolsonaro, acrescentando que o próprio juiz afirmou na conversa que a Operação Lava Jato não será esquecida.

Com a decisão de Bolsonaro e sua equipe econômica de enxugar ministérios, a Justiça volta a incorporar o atual Ministério da Segurança Pública, área que não está dentro das especialidades de Moro.

“Obviamente não é uma especialidade dele a segurança pública, mas bem assessorado e com a inteligência que lhe é peculiar, tomará as decisões adequadas nessa área”, afirmou o presidente eleito.

No vídeo, Bolsonaro disse ainda que Moro começará a “tomar pé da situação” a partir da semana que vem e participará da transição de governo assim que pedir sua exoneração da Justiça Federal.

(Por Laís Martins)

tagreuters.com2018binary_LYNXNPEEA03KA-VIEWIMAGE

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + três =

Pergunte para a

Mônica.