PATROCINADORES

João de Deus é indiciado após acusações de abuso sexual

(Reuters) – O médium João de Deus foi indiciado nesta quinta-feira pela Polícia Civil de Goiás, após acusações de abuso sexual feitas por diversas mulheres que compareceram a seus atendimentos em Abadiânia (GO).

“Agora é uma certeza por parte da Polícia Civil que ele foi o autor dos fatos, que existem evidências fortes de que ele praticou os crimes”, disse à Reuters o delegado-geral da Polícia Civil do Estado de Goiás, André Fernandes.

João de Deus, cujo nome é João Teixeira de Faria, foi indiciado por violação sexual mediante fraude, segundo a mídia.

O médium foi preso no domingo, depois de se entregar à polícia. Ele nega as acusações.

As primeiras denúncias contra o médium, que ficou conhecido no Brasil e no exterior pelos atendimentos mediúnicos e cirurgias espirituais que realiza há mais de 40 anos, vieram à tona em um programa da TV Globo.

As acusações das mulheres variam desde toques inadequados em seus corpos até a consumação de relações sexuais e de obrigá-las a praticar sexo oral enquanto ele supostamente estava incorporando entidades espirituais, segundo vítimas entrevistadas pela imprensa.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello, em Brasília))

tagreuters.com2018binary_LYNXMPEEBJ1Z5-VIEWIMAGE

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 4 =

Pergunte para a

Mônica.