PATROCINADORES

General Heleno assumirá Gabinete de Segurança Institucional no governo Bolsonaro

BRASÍLIA (Reuters) – O general da reserva do Exército Augusto Heleno foi confirmado nesta quarta-feira como ministro do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, e outro militar será escolhido para ocupar o Ministério da Defesa, como previsto inicialmente, informou nesta quarta-feira a equipe de transição do governo de Jair Bolsonaro.

Mais cedo, o vice-presidente eleito, general da reserva Hamilton Mourão, havia dito que Bolsonaro deve escolher um nome da Marinha para ocupar a Defesa, hoje comandado pelo general da reserva do Exército Joaquim Silva e Luna.

“O general Heleno é uma cabeça brilhante que não pode ser desperdiçada”, disse Mourão ao chegar para uma reunião no Centro Cultural do Banco do Brasil, onde trabalha a equipe de transição.

Ao ser questionado sobre possíveis nomes, Mourão informou que Bolsonaro está pensando em “alguém da Marinha” para ter equilíbrio entre as forças.

Atualmente, os generais que compõe a equipe do governo são todos do Exército. Além de Mourão e Heleno, estão o general da reserva Oswaldo Ferreira, que deve ser indicado ministro da Infraestrutura. Além do próprio Bolsonaro, capitão da reserva.

Mourão afirmou ainda que o presidente eleito irá trocar os comandantes das três forças ao assumir a presidência. Segundo ele, um movimento normal com a mudança de governo.

Segundo o general, o presidente eleito irá manter a tradição de indicar o oficial mais velho de cada força para o cargo.

Apesar de essa não ser uma regra, tem sido normalmente a norma desde o primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Foi quebrada em 2015 pela então presidente Dilma Rousseff, que optou por nomes que não tivessem envolvimento com a ditadura de 1964. Eduardo Villas Bôas, comandante do Exército, era, por exemplo, o terceiro mais velho na força.

Nivaldo Rossato, comandante da Aeronáutica, era o quarto mais antigo, e o almirante Eduardo Bacellar Leal, da Marinha, o segundo mais antigo.

(Por Lisandra Paraguassu; Reportagem adicional de Ricardo Brito)

tagreuters.com2018binary_LYNXNPEEA61A4-VIEWIMAGE

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + nove =

Pergunte para a

Mônica.