PATROCINADORES

Bolsonaro tem cometido excessos, mas recuperação vai bem, diz médico

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) – O presidente eleito Jair Bolsonaro, que deve passar por uma cirurgia de reversão da colostomia no ano que vem, tem cometido alguns excessos na sua rotina de trabalho e com a alimentação, afirmou nesta sexta-feira um dos médicos que o acompanham, que ao mesmo tempo descartou preocupações com a recuperação do ex-capitão da reserva.

Segundo o médico Antonio Macedo, Bolsonaro tem se submetido a uma rotina pesada e intensa de trabalho com agendas no Rio de Janeiro, Brasília e outras cidades e tem feito deslocamentos com uma certa frequência.

Bolsonaro cancelou uma agenda nesta sexta-feira no interior de São Paulo, alegando recomendação médica. “Ele estava cansado e como exagerou muito durante a semana, ficou descansando”, afirmou o médico à Reuters. O futuro presidente passou parte da semana em Brasília cuidando da transição de governo.

No último domingo, Bolsonaro surpreendeu ao tentar levantar no colo o técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari, durante a festa do 10º título nacional da equipe paulista. No estádio do Palmeiras, Bolsonaro também levantou a taça do time campeão e deu entrevista no gramado com uma criança sobre seus ombros.

“É difícil controlar o aspecto pessoal do presidente, posso controlar a parte clínica”, disse Macedo. “Ele é muito trabalhador. Acorda cedo, ocupa o dia inteiro, faz tudo ao mesmo tempo… não diria que ele é um paciente rebelde, mas diria que tem ideias próprias”, acrescentou o médico.

A alimentação do presidente eleito é motivo de conversa permanente com o médico.

Bolsonaro, que tem 63 anos, possui o hábito de comer pão com leite condensado. Ele também aprecia um cafezinho e beber refrigente, o que foi proibido pelos médicos.

“Eu não deixo ele beber refrigerante”, afirmou Macedo. “Ele posta filmes comendo pão com leite condensado. Imagina se eu, como cirurgião e médico, vou deixar ele fazer isso?”

No jogo do Palmeiras, no domingo, o presidente eleito apareceu em vídeos comendo um cachorro quente.

Apesar dos hábitos alimentares, Macedo disse à Reuters que a recuperação das cirurgias por que passou em setembro, após sofrer uma facada em um ato de campanha, vai bem e a cicatrização é boa.

Bolsonaro fará novos exames no hospital Albert Einstein, em 19 de janeiro e, se tudo estiver bem até lá, pode passar pela reversão da colostomia no dia seguinte. Caso contrário, a intervenção ficará para fevereiro.

“A incisão está boa, e está tudo direitinho. Vou fechar a colostomia em janeiro ou fevereiro, dependendo de que como vierem o exames… se estiverem ruins fica para fevereiro.”

Sobre o cancelamento da agenda nesta sexta, o senador eleito Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito, disse no final da tarde que o pai “sentiu mal-estar pela manhã”, mas ressaltou que ele já “está bem”.

tagreuters.com2018binary_LYNXMPEEB61I9-VIEWIMAGE

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − onze =

Pergunte para a

Mônica.