PATROCINADORES

Toffoli defende reajuste: “resgata a dignidade da magistratura”

O presidente do STF, o ministro Dias Toffoli, defendeu o reajuste dos salários dos membros da Corte sancionado na segunda-feira (26) pelo presidente Michel Temer (MDB). Toffoli também admitiu que o auxílio-moradia para juízes, revogado pelo ministro Luiz Fux após a decisão de Temer, servia como compensação financeira. “Isso (o reajuste) é resgatar a dignidade da magistratura, do Ministério Público, e a gente não ter que viver com o pires na mão de um auxílio-moradia. Se não tivesse a sanção desse subsídio, o auxílio-moradia ia continuar, vamos jogar francamente. Não adianta querer enfrentar a realidade. A realidade está ali: se cai o auxílio-moradia e não tem subsídio, a magistratura para. Para, acabou. Quem é que vai pôr as pessoas na cadeia? Eles vão se ‘auto-pôr’ na cadeia? Todo poder tem muito poder”, disse Toffoli em evento promovido pelo site Poder 360.

Por que é importante

Com a sanção de Temer, o salário dos ministros dos STF irá saltar de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil

Quem ganha

Os membros do Judiciário

Quem perde

Os cofres públicos. O efeito cascata deve causar um impacto de R$ 4 bilhões nas contas da União e dos estados

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =

Pergunte para a

Mônica.