PATROCINADORES

Taxa de abstenção na eleição presidencial é a maior desde 1998

O segundo turno da eleição presidencial de 2018 registrou o maior índice de abstenção desde 1998. Com praticamente todas as urnas apuradas, 21,3% dos eleitores deixaram de votar. Em 1994, quando Fernando Henrique Cardoso (PSDB) foi eleito no primeiro turno, a abstenção chegou a 29,3%. Na eleição seguinte, em 1998, o índice caiu para 21,5%. A partir de 2002, na primeira vitória de Lula (PT), a taxa ficou abaixo de 20%. Somando abstenções, brancos e nulos, 42,3 milhões de brasileiros deixaram de escolher um candidato a presidente em 2018. O índice chega a quase 31% do eleitorado apto a votar.

Por que é importante

O descontentamento com a classe política, agravado com os escândalos de corrupção revelados nos últimos anos, ajuda a explicar o alto índice de abstenções

Quem ganha

Defensores do voto facultativo

Quem perde

Políticos tradicionais, que acabaram derrotados na eleição deste ano

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 3 =

Pergunte para a

Mônica.