PATROCINADORES

Bolsonaro: “Se algo estiver errado, que paguemos a conta”

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) repercutiu na quarta-feira (12) o caso da movimentação financeira realizada por um ex-motorista do filho Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), que é deputado estadual e senador eleito. Bolsonaro disse que ele e o filho vão pagar a conta se tiverem cometido algum erro. “Eu não sou investigado, meu filho Flávio não é investigado e, pelo que me consta, nosso ex-assessor será ouvido pela Justiça na semana que vem, onde a gente espera obviamente que ele dê esclarecimentos. Se algo estiver errado, seja comigo, com meu filho, com Queiroz, que paguemos a conta deste erro. Não podemos comungar com erro de ninguém”, afirmou o presidente eleito.

Por que é importante

Relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) mostrou movimentação "atípica" de R$ 1,2 milhão de um ex-assessor de Flávio e um depósito de R$ 24 mil na conta da mulher de Bolsonaro

Quem ganha

A oposição, que aproveita o caso para criticar o presidente eleito

Quem perde

A família Bolsonaro, que teve o combate à corrupção como bandeira na eleição

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − cinco =

Pergunte para a

Mônica.