PATROCINADORES

Leonardo DRS e RADA anunciam fusão

As duas empresas combinadas tiveram receita de US$ 2,7 bilhões em 2021; mercado de defesa está em rápido crescimento

A Leonardo anunciou nesta terça-feira (21) que sua subsidiária norte-americana Leonardo DRS e a RADA, com sede em Israel, firmaram um acordo definitivo para criar uma empresa de capital aberto listada na bolsa, focada em fornecer sistemas avançados de detecção e ser líder de mercado em proteção de força no mercado de defesa.

Os conselhos de administração de ambas as empresas aprovaram o acordo que deve ser concluído no quarto trimestre de 2022, sujeito à aprovação dos acionistas da RADA, autorizações regulatórias e outras condições habituais de fechamento, disseram as empresas em comunicado conjunto.

Alessandro Profumo, CEO da Leonardo, declarou: “Estamos muito satisfeitos em anunciar esse importante movimento estratégico da Leonardo no mercado de defesa, que está em rápido crescimento. Há uma excelente sinergia entre a nossa subsidiária norte-americana, a Leonardo DRS, e a RADA: estratégica, comercial e financeira.”

A entidade combinada também trabalhará em energia elétrica e propulsão, computação de rede e outros produtos de defesa e terá presença em vários programas de proteção de força, incluindo o programa de defesa aérea terrestre com os EUA. Marine Corps e a iniciativa Maneuver-Short Range Air Defense.

A Leonardo DRS adquirirá 100% do capital social da RADA, em troca de 19,5% de participação acionária da RADA na Leonardo DRS, com a Leonardo mantendo 80,5% na Leonardo DRS por meio de sua subsidiária norte-americana, a Leonardo US Holding. Após o fechamento da transação, prevista para o quarto trimestre de 2022, a Leonardo DRS deverá ser listada na NASDAQ e na TASE sob o novo código “DRS”.

As duas empresas combinadas tiveram receita de US$ 2,7 bilhões em 2021 e lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização de US$ 305 milhões, com cerca de US$ 197 milhões em dívida financeira líquida para a forma no final do primeiro trimestre de 2022.

Boom da indústria de defesa

A guerra entre Rússia e Ucrânia trouxe um forte estímulo à indústria bélica, que pode passar por uma expansão duradoura devido ao conflito. Conforme as tensões no leste europeu aumentaram e após a invasão russa em 24 de fevereiro, o valor de mercado das principais empresas do setor de defesa sofreu forte apreciação. As ações das gigantes americanas Raytheon, General Dynamics and Northrop Grumman se valorizaram em pelo menos 12% desde o início da guerra, enquanto a Lockheed Martin, também sediada nos Estados Unidos, viu suas ações se valorizarem em 25% até meados de março.

Após a invasão da Ucrânia, os congressistas americanos aprovaram um orçamento militar de US$ 782 bilhões de dólares para o corrente ano, o maior da história do país. A expectativa para 2023 é que o orçamento para defesa seja tão grande quanto, alcançando aproximadamente  US$ 773 bilhões.

Stryker M-SHORAD

Para a guerra, o Exército precisa de uma capacidade móvel de defesa aérea de curto alcance que possa acompanhar as unidades de combate e lidar com diversas ameaças – jatos de combate, helicópteros, mísseis de cruzeiro e, cada vez mais, drones. Algo melhor do que o sistema existente é necessário, e o Exército o está perseguindo sob um programa multifacetado chamado Maneuver Short Range Air Defense, ou M-SHORAD (imagem), sendo uma capacidade de Artilharia de Defesa Aérea que se move e manobra em apoio direto às Brigadas de Combate (BCT) para destruir, neutralizar ou impedir ameaças aéreas de baixa altitude, incluindo Grupo 3 UAS, asa rotativa e aeronave de asa fixa. Com o M-SHORAD Mission Equipment Package (MEP) do Leonardo DRS em um Stryker construído para esse propósito, os Warfighters manobram com unidades táticas para detectar, identificar, rastrear e derrotar ameaças aéreas.

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.