PATROCINADORES

Petrobras compra primeira carga de petróleo da Guiana para refino

O país está prestes a se tornar uma potência energética após descobertas de 11 bilhões de barris de petróleo e gás recuperáveis

A Petrobras, maior companhia estatal brasileira, cujas ações têm grande peso na bolsa brasileira, adquiriu sua primeira carga de petróleo da Guiana para refino no mercado interno. A companhia justificou o movimento dizendo que monitora constantemente o mercado em busca de fornecedores e novas produções.

“A Petrobras monitora constantemente o mercado internacional de petróleo em busca de diferentes fornecedores e novas produções em todo o mundo”, afirmou um porta-voz da empresa em comunicado.

Segundo a Reuters, a compra da Petrobras – uma carga de um milhão de barris de petróleo do FPSO Liza Destiny, partiu dia 20 a bordo do navio-tanque Cascade Spirit, com bandeira das Bahamas, e deve desembarcar no Brasil no final do mês.

Guiana e o petróleo

Com o início das operações de uma segunda unidade de produção flutuante em fevereiro, a Guiana agora vende dois tipos de óleo leve e doce, com planos de bombear até 360 mil barris por dia (bpd) este ano. As vendas estão ajudando a pequena nação a aumentar rapidamente sua receita.

As importações de petróleo de tipo leve da África, dos EUA e do Oriente Médio geralmente chegam aos portos brasileiros para complementar o petróleo bruto nas refinarias, de acordo com dados da Eikon. A maioria das compras é feita pela Petrobras, que controla mais de 80% da capacidade de refino do Brasil.

“A seleção dos tipos de petróleo varia de acordo com os cenários econômicos, procurando identificar aqueles que podem atender a demanda nacional e internacional de produtos refinados visando maior rentabilidade para a Petrobras”, acrescentou a empresa.

A Guiana está prestes a se tornar uma potência energética após descobertas de 11 bilhões de barris de petróleo e gás recuperáveis. O país exportou quase 37 milhões de barris em 2021, em apenas seu segundo ano de produção.

A Exxon Mobil, operadora das duas plataformas do país, disse que a companhia e seus parceiros CNOOC e Hess Corp planejam produzir até 1,2 milhão de bpd de petróleo e gás até 2027.

Compartilhe

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Pergunte para a

Mônica.

©2017-2020 Money Report. Todos os direitos reservados. Money Report preza a qualidade da informação e atesta a apuração de todo o conteúdo produzido por sua equipe.