Document
PATROCINADORES

Guedes diz que pode deixar governo se reforma for muito desidratada

O ministro da Economia, Paulo Guedes, mostrou mais uma vez que não não pretende ceder muito para tornar mais branda a reforma da Previdência. Guedes não quer desviar o foco da meta de economia de R$ 1 trilhão em dez anos com a aprovação da proposta encaminhada pelo governo federal. Em discurso na posse de Roberto Campos Neto como presidente do Banco Central, o ministro afirmou que cogita até deixar o cargo se o projeto for desidratado no Congresso. “Estamos num sistema de repartição que quebrou. Faliu antes de a população envelhecer. Vocês querem trazer seus filhos para isso? Se der (economia) acima de R$ 1 trilhão, eu digo que estamos numa geração de pessoas responsáveis e têm a coragem de assumir o compromisso de libertar filhos e netos de uma maldição previdenciária. Se botarem menos, eu vou dizer assim: ‘Eu vou sair daqui rápido, porque esse pessoal não é confiável. Não ajudam nem os filhos. Então, o que será que vão fazer comigo?'”, declarou.

Por que é importante

Paulo Guedes é o grande fiador econômico do governo Jair Bolsonaro

Quem ganha

Os que apostam no quanto pior, melhor

Quem perde

O governo, que ficaria sem um dos seus principais ministros

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Pergunte para a

Mônica.