PATROCINADORES

Reforma administrativa pode ser empurrada para 2023

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), já sinalizou a intenção de acelerar a discussão da reforma administrativa. No cronograma, Lira estabeleceu ver aprovada na Casa até julho a proposta que muda as carreiras e os salários dos servidores públicos federais. O texto seguiria em seguida para apreciação no Senado. Segundo a Folha de S. Paulo, a pressa, no entanto, pode esbarrar na pressão de parlamentares da base governista que querem evitar desgastes políticos a um ano das eleições. O jornal relata que principalmente os deputados que vieram do funcionalismo, como policiais, procuradores e defensores públicos, temem endossar a reforma sob o risco de não renovarem seu mandatos. Além disso, a oposição deve se articular e aproveitar as brechas disponíveis no regimento para travar a tramitação. Sem um empenho considerável do governo e uma interferência de Lira, o avanço da proposta pode ser empurrado para 2023.

Por que é importante

A aprovação da reforma administrativa é uma das principais bandeiras do ministro da Economia, Paulo Guedes, desde o início do governo do presidente Jair Bolsonaro

Quem ganha

O lobby do funcionalismo, para que tudo continue como está

Quem perde

Guedes e a expectativa de enxugar a máquina pública

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Pergunte para a

Mônica.