Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image
Scroll to top

Top

Nenhum comentário

Mais altas de juros é a melhor maneira de proteger a recuperação dos EUA, diz Powell

Mais altas de juros é a melhor maneira de proteger a recuperação dos EUA, diz Powell

Por Howard Schneider e Ann Saphir

JACKSON HOLE, EUA (Reuters) – Os aumentos constantes da taxa de juros pelo Federal Reserve são a melhor maneira de proteger a recuperação econômica dos Estados Unidos e manter o crescimento do mercado de trabalho o mais forte possível e a inflação sob controle, disse o chairman do banco central norte-americano, Jerome Powell.

Endossando a postura de política monetária do Fed poucos dias depois de o presidente dos EUA, Donald Trump, ter criticado as altas de juros, Powell usou o simpósio anual de Jackson Hole para “explicar hoje porque meus colegas e eu acreditamos que esse processo gradual…continua apropriado”.

“A economia está forte. A inflação está perto da nossa meta de 2 por cento e a maioria das pessoas que querem um emprego está encontrando um… Se o crescimento forte na renda e no mercado de trabalho continuar, mais aumentos graduais na meta para a taxa de juros provavelmente serão apropriados”.

As declarações de Powell não foram uma resposta direta à crítica de Trump de que ele não está “empolgado” com o aumento dos juros pelo Fed enquanto tenta estimular o crescimento econômico. No entanto, a conferência anual do Fed de Kansas está entre os principais eventos anuais do banco central, chamando a atenção da mídia internacional com uma audiência que inclui representantes dos bancos centrais de outros países.

O tema de discussão deste ano envolve mudanças na estrutura do mercado e Powell usou esse tópico para explicar o motivo de mudanças em conceitos como o nível de “pleno emprego” e a taxa neutra de juros” justificarem aumentos graduais nos juros.

Ele disse que os erros do passado do Fed, como a estimativa incorreta do pleno emprego que permitiu que a inflação acelerasse na década de 1970, significam que o banco central hoje não deve assumir que suas estimativas atuais dessas variáveis ​​econômicas são precisas.

O Fed “tem navegado por uma série de superaquecimentos e apertos prematuros com apenas uma visão vaga sobre o que parece estar mudando os mapas de navegação”, disse Powell.

Com o desemprego tão baixo, “por que (o Comitê Federal de Mercado Aberto) não está apertando mais a política monetária para evitar superaquecimento e inflação? Sem um sinal claro de um problema de inflação, por que o Fomc está apertando a política monetária, sob o risco de sufocar o crescimento do emprego e a expansão contínua?”

A solução, disse ele, é agir com cuidado.

“Eu vejo a trajetória atual de elevar gradualmente a taxa de juros como a abordagem do Fomc de levar a sério ambos os riscos.”

A expectativa é de que Fed aumente a taxa de juros em setembro e talvez novamente em dezembro, dando continuidade ao que se refere como “normalização” em 2019.

tagreuters.com2018binary_LYNXNPEE7N16H-VIEWIMAGE

Envie seu comentário

sete + dezesseis =