Document
PATROCINADORES

Moro diz que orientou PF a “não proteger ninguém”

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, comentou a investigação sobre o uso de candidatas laranjas pelo PSL (mesmo partido do presidente Jair Bolsonaro) na eleição passada. Em entrevista à rádio Jovem Pan, Moro afirmou que, ao aceitar o cargo, combinou com Bolsonaro que “ninguém seria poupado” caso surgissem denúncias de corrupção. “Quando fui convidado (pelo presidente Jair Bolsonaro), o que conversamos? Ninguém seria poupado. Essa é minha posição e do senhor presidente, que ninguém seria poupado se surgissem casos de crimes no âmbito do governo. Isso seria apurado e nós não iríamos proteger ninguém. E essa é a orientação que tem sido passada para a Polícia Federal e demais órgãos de investigação”, disse o ministro.

Por que é importante

No caso em questão, a Polícia Federal apura se dirigentes do PSL desviaram dinheiro do fundo partidário

Quem ganha

A PF, com autonomia para apurar as denúncias

Quem perde

O corporativismo, já que membros do partido do presidente não serão poupados

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Pergunte para a

Mônica.