PATROCINADORES

Oxfam enfrenta pressão crescente após novo relato de abusos sexuais de agentes

Por Alistair Smout

LONDRES (Reuters) – A organização humanitária britânica Oxfam passou a sofrer ainda mais pressão nesta terça-feira depois que uma ex-funcionária de alto escalão disse que suas preocupações a respeito de “uma cultura de abuso sexual” envolvendo agentes de alguns escritórios foram ignoradas.

Helen Evans, que foi encarregada de investigar alegações contra membros da Oxfam entre 2012 e 2015, disse à rede de televisão Channel 4 que os casos de abuso que ouviu incluíram o de uma mulher que foi coagida a fazer sexo em troca de ajuda.

Outro disse respeito a uma agressão de um funcionário a um voluntário adolescente em uma entidade de caridade do Reino Unido, relatou.

Uma análise de agentes da Oxfam em três países, incluindo o Sudão do Sul, mostrou que cerca de 10 por cento destes foram agredidos sexualmente e que outros testemunharam ou sofreram estupros ou tentativas de estupro de colegas, segundo Helen.

A ex-funcionária, que dirigiu uma seção de “salvaguarda” responsável por proteger agentes e as pessoas com as quais a Oxfam trabalha, falou da frustração de ver seus pedidos de ajuda adicional para sua equipe não serem levados devidamente a sério.

“Senti que nosso fracasso de providenciar recursos adequadamente estava colocando as pessoas em risco”, disse ela em uma entrevista transmitida pelo Channel 4 no final da segunda-feira. “Luto para entender por que eles não reagiram imediatamente àquele pedido de recursos adicionais”.

Uma das ONGs mais conhecidas do mundo, com programas de ajuda em todo o globo, a Oxfam corre o risco de perder financiamento do governo britânico devido às alegações de má conduta sexual.

Compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − cinco =

Pergunte para a

Mônica.